Em 1996, um grupo de jovens amigos de Pirituba que organizava festas em colégios da região, resolveu que precisava expandir suas atividades e promover uma integração e uma participação maior da comunidade. Foi aí que então resolveram colocar no ar uma rádio comunitária para poder divulgar e promover ações para os jovens de Pirituba e região. Nascia então a Associação Cultural Rádio Livre Comunitária Studio 100 FM, entidade sem fins lucrativos que tinha como objetivo a promoção de ações sociais, de entretenimento e integração de jovens da comunidade de Pirituba. Em março de 1996 entrava no ar a rádio Studio 100 FM, inicialmente operando em 100,5 MHz. Daí em diante foram muitas as ações, campanhas de utilidade pública, eventos e a grande participação e integração da comunidade com a rádio. Ainda em 1996, a rádio Studio 100 Fm, passou a transmitir as missas dominicais da paróquia São Judas Tadeu de Vila Miriam, fato esse que tornou a Studio 100 ainda mais conhecida e querida não só entre os jovens, mas também entre adultos. Centenas de pessoas que não podiam assistir a missa da paróquia pessoalmente, ouviam a transmissão através da Studio 100.

 

Em 1997 com o trabalho junto a comunidade já consolidado, a Studio 100 sofreu um duro golpe com a perca da freqüência 100,5 MHz que foi invadida por uma emissora pirata que com milhares de watts de potência encobriu a área de transmissão da Studio 100 que se limitava ao bairro de Pirituba e proximidades. Após vários dias fora do ar, a Studio 100 finalmente conseguiu retomar suas transmissões agora em 88,7 MHz. Foi como começar do zero, refazer tudo de novo até retomar todo o trabalho perdido por dias com a emissora fora do ar. Em 1998 foi protocolado junto ao ministério das comunicações o pedido de regularização da emissora obedecendo a todos os critérios e especificações da lei de radiodifusão comunitária.

 

E visando atender a lei, os membros da entidade decidiram encerrar temporariamente as transmissões para que a Studio 100 não se tornasse mais uma entre as centenas de emissoras irregulares "piratas" que continuaram - e ainda continuam - com suas transmissões ilegais. Ainda em 1998, a entidade conseguiu junto ao canal comunitário da cidade de São Paulo um horário para a produção e veiculação de um programa de TV que era transmitido via cabo (Tv por assinatura) pelas operadoras NET, MULTICANAL e TVA. O programa chamava-se NIGHTV e trazia música e informação para um público jovem. Durante o período que ficou no ar, sempre aos sábados, o NIGHTV conquistou uma grande audiência entre os jovens de toda a cidade e até de outros estados do país aonde o sinal da tv a cabo chegava.

 

Em Fevereiro de 2016 houve uma mudança na diretoria e a rádio 87,5 Mhz passou a transmitir uma igreja evangélica, enquanto a radio virtual continuou com a mesma programação musical.

Tempos de radio pirata
Tempos de radio pirata


TUCA PORTO FALA SOBRE A RADIO 

Comecei como discotecário na noite em 1991, aos 15 anos, quando assumi a Paradise e fiquei até 1994, ano em que o local trocou de dono e de nome também. Tinha que tomar cuidado com o juízado de menores, mas nunca tive problemas. Começaram a surgir convites das rádios e eu acabei tocando em programas da Nova FM, 97, Transamérica, Jovem Pan e Manchete, onde eu fazia uma divulgação da Paradise e do meu trabalho. A experiência em rádio fortaleceu a idéia de ter uma emissora própria, e isso aconteceu em 1996 com a criação da Associação Comunitária Studio 100, uma entidade sem fins lucrativos e que era um item necessário para solicitar a regularização junto às autoridades futuramente. A intenção era de ter um espaço para divulgar as festas que eu fazia na região, de escolas, formaturas e dar oportunidades para os jovens carentes deste espaço e assim foi até 1998, quando a Anatel sugeriu que se entrasse com um pedido oficial de regularização da rádio. As transmissões ficaram suspensas até que em 2006 a Anatel entrou em contato perguntando se havia ainda o interesse e eu confirmei que sim. 

 

Providenciamos a entrega da documentação e recebemos a concessão provisória em julho de 2010, e a concessão definitiva veio em outubro, quando a rádio entrou oficialmente no ar operando com 25 watts de potência, o que dá aproximadamente uma abrangência de 2 a 2,5 km em linha retas para todos os lados. A possibilidades de ampliação deste sinal no futuro dependeria da aprovação de um projeto de Lei que transformasse a radio comunitária em educativa, mas leva um tempo e não é caso agora, porque a rádio está disponível também na Internet para o mundo todo e teve 26.000 acessos desde a inauguração oficial (out/2010 a abr/2011). A programação é mais voltada para o público adulto, aquele que curtiu a Paradise e Piritubão, com muito Flash Back e os clássicos do passado, além de atualidades. E por ser uma rádio comunitária ela depende bastante dos comerciantes da região em anunciarem suas empresas, produtos e serviços, um anúncio institucional. É fundamental para a manutenção da rádio e uma ótima opção para divulgar empresas, comércios e profissionais.   


MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTE ASSUNTO