Avenida Cardeal Motta, 84 - Entre o City América e rodovia dos Bandeirantes

Tel. 3834-2176

 

Inaugurado em julho de 1992, em uma área remanescente do loteamento “City América”, o Parque nasceu de um programa de Cooperação Técnica entre as Prefeituras de São Paulo e de Toronto, no Canadá, que tinha como objetivo propiciar aprimoramento profissional, consultoria e transferência de “know-how” entre os técnicos das duas cidades. Este Parque é também fruto de uma reivindicação da população local, que há muito vinha solicitando sua construção para evitar os constantes acidentes que ocorriam no lago, procurado como uma forma de lazer na região. Foi esse mesmo lago, elemento comum na paisagem canadense, que motivou a escolha do local para o intercâmbio entre as duas Prefeituras. Os equipamentos mais procurados do Parque são o playground e a “wading-pool”, localizados lado-a-lado, sendo que o primeiro possui um conjunto de brinquedos típicos dos parques canadenses. Os brejos e o lago constituem grande parte da área do Parque, que apresenta, por isso, uma fauna com morada e hábitos típicos desses ecossistemas. No brejo os animais encontram abrigo, alimentação abundante e locais privilegiados para a construção de ninhos protegidos de predadores. Vivem no parque frangos-d’água,  martins-pescadores-grandes, biguás, socós-dorminhocos, garças-brancas-grandes, preás, cobras-d’água e jararaquinhas-do-campo.

 

O Parque passou por um processo de recuperação de áreas degradadas com a implantação de 120 espécies de árvores nativas para proporcionar a proteção de encostas contra erosão, reduzir o assoreamento do lago, melhorar a qualidade da água, proteger as nascentes,  preservar e enriquecer o ecossistema local. Foram plantadas espécies encontradas às margens de bacias hidrográficas para a formação de mata ciliar. São também encontradas plantas aquáticas, e outras árvores distribuídas de maneira esparsa possibilitam sombreamento em locais de passeio. Marcando o convênio Brasil-Canadá, foi implantado um bosque de coníferas, vegetação característica  da paisagem canadense. 

 

Infra–estrutura: Churrasqueiras, quiosque, palco, aparelhos de ginástica, pista de cooper, sanitários, playground com brinquedos típicos canadenses, quadras poliesportivas, espelho d'água, nascente e passeios sobre o lago e a várzea (trapiches).

 

Fauna: Frangos-d’água, martins-pescadores-grandes, socós-dorminhocos, biguás, garças-brancas-grandes, preás, cobras-d’água, jararaquinhas-do-campo, irerês, viuvinhas, gaviões e outros.

 

Flora: Reflorestamento com espécies nativas de Mata Atlântica, brejo, bosque com espécies que caracterizam a paisagem canadense e áreas ajardinadas. Destacam-se exemplares de ingá, ipê-rosa, copaíba, paineira, manacá-da-serra, plátano, liquidâmbar, cipreste e capim-dos-pampas. (Prefeitura de São Paulo) 

   

PISTA DE CAMINHADA / COOPER 

A pista vai de um lado ao outro do parque e tem chão de terra, pedras e madeira (ponte), passando entre a vegetação, sobre o grande lago e próxima as grades, e um trecho com escadas. Dá para caminhar ou correr em qualquer ritmo e sem enjoar, pois mesmo com suas pontas sendo de lados opostos, é possível escolher caminhos sem ter que dar meia-volta. No lado oposto das duas entradas, há uma mini trilha com cerca de 300 metros rodeando internamente a grade de proteção, com chão irregular de terra, folhas e raízes expostas das grandes árvores. O começo fica ao lado dos equipamentos de ginástica - barras de flexão e abdominais - e termina ao lado da entrada da ponte sobre o lago. Curta, simples e fácil, mas requer atenção para não escorregar e cair para dentro da nascente do lago, principalmente em dias de piso molhado ou cheio de folhas e galhos.  


  

Prefeitura de São Paulo inicia processo de concessão de 14 parques

  

A prefeitura de São Paulo anunciou nesta terça-feira (09/05/2017) a concessão de 14 parques municipais, entre eles o Ibirapuera e o Aclimação, para a iniciativa privada. O edital para os procedimentos de manifestação de interesse, que buscará fazer uma análise inicial de interessados e projetos, será publicado no Diário Oficial do município na quarta-feira (10). O modelo de concessão só será definido após o recebimento de estudos de investimento e contrapartidas. Segundo o secretário de Concessões, Privatizações e Parcerias da Prefeitura, Wilson Poit, empresas nacionais e estrangeiras e pessoas físicas interessadas terão, inicialmente, 30 dias para se credenciarem e, em seguida, haverá mais 60 dias para apresentação de propostas de modelos. A ideia é que o edital de concessão seja publicado até o final de 2017. A Prefeitura deverá abrir para cada concessão "pacotes" de parques grandes junto com parques pequenos. A concessão será pelo período de 5 anos.

 

QUAIS SÃO OS PARQUES:

Ibirapuera (Zona Sul)

Aclimação (Zona Sul)

Anhanguera (Zona Norte)

Buenos Aires (Centro)

Parque do Carmo (Zona Leste)

Centro Municipal de Campismo - Cemucan (Parque da Prefeitura de SP em Cotia)

Chácara do Jockey (Zona Oeste)

Parque do Chuvisco (Zona Sul)

Parque Cidade Toronto (Zona Norte)

Independência (Zona Sul)

Jardim da Luz (Centro)

Trianon (Centro)

Parque Vila Guilherme - Trote (Zona Norte)

Parque Ecológico Professora Lydia Natalícios Diogo - Vila Prudente (Zona Leste)

 

O QUE CONCESSIONÁRIAS DEVEM OFERECER:

Assumir despesa de manutenção

Não cobrar ingresso de entrada

Fazer investimento de melhoria

 

CONCESSIONÁRIAS TERÃO DIREITO A:

Cobrança de estacionamento

Instalação de restaurantes e praça de alimentação

Rede de wi-fi e comunicação

Locação de bicicletas e brinquedos

Recebimento de comissão por locação para filmes ou novelas

 

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que a prefeitura trabalhará para que não haja elitização dos parques devido às cobranças de estacionamento ou alimentação. "O objetivo não é ganhar dinheiro, é operacional, melhorar a qualidade do atendimento e a eficiência do serviço à população", argumentou Doria. Os atuais contratos serão respeitados, conforme o secretário Poit. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Gilberto Natalini, os funcionários da prefeitura destes parques continuarão trabalhando ou serão remanejados para outros. Com a concessão é esperada uma desoneração de 40% do orçamento destinado à manutenção dos parques. Uma comissão será criada para analisar os projetos e definir o modelo de concessão. (G1) 

 



MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTE ASSUNTO