Praça Dom Pedro Fulco Morvidi, 01 - Vila Pereira barreto - Pirituba

Tel. 3975-6790

 

1922: Em Novembro de 1922 o Dr. José Pereira Barreto e sua Senhora Da. Georgina planificaram uma de suas áreas para o loteamento: COMEÇAVA ASSIM VILA PEREIRA BARRETO, que recebeu o nome do proprietário.

 

1923-24: Sitiantes, Colonos da Fazenda Barreto e outras famílias que moravam na bei­ra da Estrada de Ferro, movidos pela piedade resolveram construir um pequeno oratório, dedi­cando-o a São Luiz Gonzaga como homenagem á memória do Dr. Luiz Pereira Barreto, que tanto prestígio tinha dado a estes lugares.

 

1925-26: Ao redor deste oratório começou a surgir um pequeno centro para encontros pie­dosos e também sociais. Lembramos como os PIONEIROS da futura vida religiosa de Vila Barreto as famílias: Toledo, Agu, Vidal, Fer­rari, Andrade, Almeida, Cezarino Accorsi, Mon-tesanto, Azi, Campestrini, João Veríssimo, Calovini, Peixoto e Fande. 


1927-28: Segundo a opinião de antigos moradores, Pirituba antigo foi cenário de fortes chuvas e mesmo temporais, possivelmente devi­do a sua topografia. Num destes fenômenos climatéricos desabou o pequeno templo. Remo­vendo os escombros, todos ficaram maravilhados ao achar intacta a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Os moradores não desanimaram, com a apa­rente derrota do tempo, ao contrário, redobra­ram suas forças, conseguindo assim construir uma nova capela, desta vez um tanto maior, ou seja, com vinte metros quadrados. Envidando es­forços para aumentar a vida religiosa do lugar devemos salientar a pessoa de Da. Cezarina Petracco, Zeladora da Capela, pois conseguira Sa­cerdote, uma vez por mês, do Colégio Cristóvão Colombo, Pé Santo Bernardi, ao qual vai o reco­nhecimento sincero de Vila Barreto.

 

1930-1940: Nesta década houve bastante aumento de população e assim outras famílias foram-se radicando como: Fava, Quinelado, Bernardes, Pinheiro, Sibinel, Panachão e mais. Moças piedosas dedicaram-se com ardor e zelo ao ensino do catecismo e as rezas mais freqüentes à noite. Procurou-se mais contato com o Vigário da Freguesia do Ó, a cuja jurisdição a Capela pertencia e com os Padres Salesianos do Alto da Lapa, os quais enviavam com freqüência jovens Seminaristas aos domingos. Crescendo a vida espiritual sentiram a necessidade de unir-se e agregar-se em Irmandades, como também de construir um templo maior. A primeira Comissão PRÓ-CAPELA SÃO LUIZ GONZAGA ficou assim constituída: Dr. João Toniolo – Presidente / José Petracco / João Agu / Júlio Ferrari / Antônio de Andrade / João Toledo. Esta Comissão procurou a Escritura do ter­reno e organizou várias festas e quermesses animadíssimas em benefício da Capela, a qual neste tempo já estava a bom ponto.

 


 

08 de Outubro de 1945: Um dia de grande festa na Nova Capela, ampla e soberana, a entrega oficial de Fitas à Congregação Mariana e á Pia União das Filhas de Maria, na presen­ça do Diretor da Federação, Pe. Mendecutti e do Vigário da Freguesia Pé. Heládia Laurini, o qual foi o primeiro Diretor destas Irinandadês. Pe. Heládio e depois Pe. Rubens dos San­tos manifestaram-se grandes amigos e contri­buíram bastante no desenvolvimento espiritual de Vila Barreto. Primeira Diretoria da Congregação Mariana: Presidente — Henrique Bernardi Secretário — Antônio Stelzen Tezoureiro — Mario Dellavanzi 2.° Secretário — Benedito Ferreira. Primeira Diretoria da Pia União: Presidente — Inez Pinheiro Secretária — Rosaria Gonçalvez Tezoureira — Inez Câmara. Convém ressaltar a esta  altura  a   colabora­ção e perfeito entendimento entre os  elementos do Pirituba F. C. para  o  engrandecimento da Capela.  Evidencia o fato o panfleto datado de 1945 que transcrevemos:

 

"Ao Povo de Pirituba: A Comissão de festejos Pró Obras da Igreja São Luiz Gonzaga de Pirituba, convi­da o povo em geral para comparecer a Assembléia Geral à realizar-se em 05 de Setembro de 1945, às 20 horas na sede do Pirituba F. C. Certa da honrosa presença nesta Assembléia penhorada, agradece.

A. Comissão“.

 

É justo lembrar outras famílias que se esforçaram bastante nas obras da capela: Ferraresi, Fonseca Rabelo, Batista Rodrigues, Fava, Ferreira e outras

 

02 de Agosto de 1948: Com decreto de 8 de Agosto de 1958 de Sua Emcia., o Cardeal Arce­bispo Dom Carlos de Vasconcelos Mota, foi criada a Paróquia de Pirituba com o Título de Nossa Senhora Auxiliadora e a Capela de São Luiz Gonzaga foi agregada a dita paróquia.

 

Fevereiro de 1949: Grande alegria para os corações dos católicos de Vila Pereira Barreto: a chegada dos Padres em Pirituba: Dom Torelo, Dom Rozendo e Dom Pedro, que toma­ram posse oficialmente aos 20 de Março na pre­sença do Exmo. Dom Paulo Rolim Loureiro, Bis­po Auxiliar. Graças aos desveles do Vigário de Pirituba e seu cooperador Dom Rozendo Chíappini a vida espiritual de São Luiz Gonzaga podia ser com­parada a de qualquer paróquia.  O ano de 1949 pode ser escrito em letras de curo na história de Vila Barreto, acabando as­sim a angustiante "Via Cruéis" da vida religio­sa na nossa capela.

 

11 de Setembro de 1949: Inauguração da Capela de São Luiz Gonzaga por sua Excelência, o Senhor Bispo Auxiliar D. Paulo Rolim Loureiro; Assim está escrito no livro do Tombo da Paróquia de Pirituba: "Esta Capela que a generosidade de todo um povo ergueu para a exaltação da maior glória de Deus e honra do Santo Patrono da Juventude cristã, se acha terminada sem economia de trabalho e dinheiro e Sé constitue o mais eloqüente e solene testemunho de fé viva e operosa deste povo profundamente religioso, o qual neste dia vem renovar o pro­pósito de sempre e mais dedicadamente servir a religião de seus avós, prometendo manter-se sempre unido e coeso sob a diretriz e guia do seu amado Pastor."

 

07 de Dezembro: Com a presença do Revmo. Abade Geral e de Mons. Marcelo Franco foi inaugurada a casa Paroquial de Vila Barreto, comprada por  80 mil cruzeiros, na qual,  a co­meçar deste dia, instalou-se  definitivamente o Vigário  Cooperador Dom Rodolfo Querubuini, para  melhor  atender  às  necessidades  espirituais do Bairro, que vai desenvolvendo-se e aumentando cada vez mais.

 


08 de Maio de 1955 (Livro do Tombo): "Hoje grande festa na capela filial de Vila Barreto. Às 4 horas da tarde, na presença e com a bênção do Exmo. Sr. Bispo Auxiliar Dom Antônio Maria Alves de Siqueira, houve a cerimônia litúrgica do lançamento da pedra fundamental da nova e grande Igreja a ser construída no nosso Bairro. O Vigário de Pirituba fez uso da palavra, dirigindo-se ao Sr. Bispo e demais presentes: Na qualidade de Vigário da Paróquia de Pi­rituba cabe-me agradecer com a maior alegria e satisfação, a presença do Exmo. Sr. Bispo Auxiliar, nesta expressiva e solene cerimônia do lançamento da pedra fundamental daquele que será o lindo e grandioso Santuário da Juventude Católica.

 

A Capela atual, na qual Ele pontifica do Altar Mor, onde é venerada a sua Imagem, tornou-se tão pequena relati­vamente ao aumento rápido e espetacular da população deste Bairro, que foi preciso pen­sar na construção urgente duma Igreja ampla e moderna, que respondesse às exigências do desenvolvimento material e espiritual deste Bairro. O incansável e dinâmico Dom Rodolfo, que há mais de quatro anos toma conta com todo zelo desta grande e cada vez crescente freguesia da Paróquia de Pirituba, viu e sen­tiu, juntamente com o povo, esta premente necessidade, cuja realização não podia ser adia­da, resolveu lançar mãos à obra, mandando fazer o projeto, que todos conhecem, de que todos gostaram e que, se Deus quiser, será uma maravilhosa realidade, num futuro, que desejamos quanto mais próximo". O projeto é da CONSTRUTORA COLOM­BO num misto de estilo romano, a três naves, em linhas modernas, com uma grande torre na frente conforme o costume colonial.

 

31 de dezembro de 1956: Inauguração do Salão Paroquial, cuja construção foi iniciada por Dom Rodolfo Querubini e levada a termo pelo atual Vigário Cooperador Dom Pedro Morvidi. O Salão Paroquial faz parte da Nova Igre­ja, como porão da mesma, sendo que provisoria­mente deverá funcionar também como Igreja, particularmente aos domingos e dias santos, pois naqueles dias a velha capela, tornou-se absolu­tamente incapaz de conter os fiéis que assistem a Santa Missa.

 

16 de Agosto de 1957: Inicia-se a obra da Igreja, em ritmo acelerado. Convém ressaltar o trabalho competente do mestre das obras, Donato Capuano, que demonstrando ser um grande artista, esmera-se no seu trabalho, provocando um justo e sincero agradecimento de todo o povo de Vila Barreto.

 

21 de Junho de 1959: Inauguração da grandiosa Casa Paroquial, construída toda em volta do Presbitério.

 

19 de Março de 1961: Bênção da Cumieira e cobertura da Igreja pelo Exmo.  Sr. Bispo Auxiliar Dom Vicente Zioni. 


 

1° de Outubro de 1961: O sonho dos católicos de Vila Barreto está em parte realizado com a Inauguração e Bênção litúrgica do Majestoso Santuário de São Luiz Gonzaga pelo Exmo. Dom Paulo Rolim Loureiro, Bispo Auxiliar, que vem acompanhando com carinho desde o começa até o presente a vida religiosa de Pirituba. Os Sacrifícios de 40 anos, no pequeno Ora­tório antes e na pequena capela depois, tiveram uma maravilhosa recompensa. Encerrando os festejos em louvor do pa­droeiro com o solene TE DE UM e a Bênção Eucarística pelas mãos do Arcebispo Coadjutor de Sua Emcia. o Cardeal, Dom Antônio Alves de Siqueira, termina uma grande etapa da his­tória religiosa-social de Pirituba. 


Nas poucas frases acima, procuramos, a guisa de recordação, historiar o que foi e que é a luta constante para o aperfeiçoamento a que o homem é conduzido para melhorar as suas con­dições sociais. Ao historiar, como lembrança e agradecimento enumeramos os principais batalhadores da causa comum. Uns hoje não mais lutam ao nosso lado, quer por mercê do Altís­simo quer por obra da própria atividade huma­na que os obrigou a deslocarem-se do nosso bairro. Isto posto, rogamos a Deus paz cons­tate à aqueles que nos deixaram e vigor ao três que hoje trabalham, para que possamos com­pletar a nossa Igreja, para o orgulho do nosso Bairro.  

 

FOTOS

Clique no Play e aguarde a reprodução automática ou escolha por slide


MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTE ASSUNTO