O governo de São Paulo apresentou o licenciamento ambiental do Ferroanel Norte. O novo ramal ferroviário será exclusivo para o transporte de cargas e terá o traçado paralelo ao trecho Norte do Rodoanel. A estimativa é que a obra custe R$ 3,4 bilhões. A obra, que é de responsabilidade da União, teve os estudos de impacto ambiental realizadas pela Dersa, empresa do governo estadual, com recursos da empresa pública federal. Após a implantação, que ainda não tem data definida, os trens de carga que hoje compartilham os trilhos com trens de passageiros da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) sejam desviados para outros ramais exclusivos para cargas, permitindo a redução de intervalo dos trens de passageiros e o aumento da capacidade.

 

“Ele segrega esses dois tipos de transporte e permitirá que a gente traga um volume de aproximadamente 67 milhões de toneladas por ano para os trilhos. Hoje, esse volume está em torno de 10% desse valor”, afirmou o secretário de estado de logística e transportes Laurence Casagrande. A nova linha ligará o interior do estado ao Porto de Santos. O novo ramal vai interligar a malha ferroviária da Central do Brasil, a antiga linha São Paulo/Rio de Janeiro, com a malha da linha Santos/Jundiaí.

 

"Hoje o trem de carga que vem da região de Campinas e do Centro-Oeste brasileiro passa por dentro da capital, na estação da Luz, cada vez mais difícil, porque o nosso trem de passageiros que transportava 700 mil pessoas viagem/dia, hoje transporta 3 milhões de passageiros viagem/dia. Então, nós precisamos tirar o trem de carga do Centro de SP", afirmou o governador Geraldo Alckmin. A estimativa é que a ferrovia irá retirar cerca de 2.800 caminhões por dia das estradas paulistas em um prazo médio, podendo chegar até 7.300 caminhões diários. Atualmente, 84% do transporte de cargas pelo estado é feito através do transporte rodoviário. O projeto deve ficar pronto até o fim do ano e aprovado pelo Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente). O governo federal definirá quem será o responsável pela realização da obra.

 

HISTÓRICO

 

O Ferroanel Norte será uma ferrovia com 53 km de extensão que ligará as estações Perus, na Zona Norte de São Paulo, a Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, na região metropolitana, sem estações no trajeto. Dos 53 km do ferroanel, 12 km são pontes e viadutos, 17 km são túneis e 23 km em terraplanagem. A estimativa é que o frete de cargas pela ferrovia seja 15% mais barato do que o valor pago no transporte feito pelos caminhões. O estudo teve início em setembro de 2011 em parceria do governo estadual com a concessionária ferroviária MRS. Inicialmente, a Dersa cedeu os projetos disponíveis para a implantação da ferrovia nos trechos Leste e Norte do Rodoanel. No entanto, em 2012, foi constatada a viabilidade técnica para a implementação da ferrovia no trecho Norte do Rodoanel. O estado recebeu R$ 332 milhões do Ministério dos Transporte para que as obras do Rodoanel recebessem terraplanagem complementar para a instalação do futuro ramal ferroviário. (G1)