Estrada Turística do Jaraguá, 3.400 - Ao lado da Aldeia Indígena

 

A sombra do lendário e majestoso Jaraguá — precisamente na Avenida Jaraguá, 3400 — o nosso querido pintor Henrique Manzo vai inaugurar, uma exposição de seus últimos trabalhos, que os interessa­dos poderão visitar duas vezes por semana a partir da data da inau­guração. Ha muitos anos já que Henrique Manzo não nos faz ver as bonitas teias criadas pelo seu brilhante talento e revestidas, por certo, daquela mesma dignidade profissional que tanto o impôs a administração e aos aplausos dos críticos de arte e do público. A noticia dessa mostra que tem a originalidade de ser a primeira apresentada assim num pitoresco e bucólico recanto da paisagem pau­listana, a evocar aos visitantes os tempos históricos das entradas bandeirantes, despertara, com certeza, a curiosidade não só dos nossos co­lecionadores de arte mas de todos quantos conhecem o mérito desse pintor e, por isso, esperam com ansiedade os seus novos trabalhos.

 

Manzo é um antigo apaixonado do famoso morro onde a tradição diz estar escondido ainda um tesouro de esmeraldas, sendo a pintor que mais telas compôs inspiradas por aquele local histórico. Em sua ultima exposição, em outubro de 1948, na Galeria Prestes Mala, patrocinada pelo Departamento de Cultura da Municipalidade de São Paulo, apresentou-nos o Ilustre artista o "Morro Jaraguá", que conserva ciosamente e que é pena não esteja em nossa Pinacoteca, ao lado do seu belo quadro "Labor", daquela mesma época. Meus amigos, preparemo-nos para levar braçadas de aplausos ao festejado pintor que, nos dará uma nova e feliz oportunidade de con­templar a sua obra, à sombra tranquila do glorioso Jaraguá, que ele escolheu como recanto para o seu lar e para as suas criações artísticas.

 

Corrêa Júnior

A GAZETA — 29 de Janeiro de 1964


  

VOZES DE CARINHO E ESTIMULO

 

Caro amigo Manzo dá monumentalidade à guarda dos seus trabalhos com a criação da Gale­ria Narciza para onde leva suas telas já consagradas por uma crítica admirativa e festiva. Sonhador impenitente cerca sua perpétua mocidade com o seu vivificador sonho de arte numa suave ascensão. O pintor querido de minha juventude é hoje o artista consagrado que passa a oficiar sua arte neste templo que erigia em homenagem à sua Musa que é sua fiel companheira.

 

Dr. Menotti Del Picchia

São Paulo, 7 de Abril de 1964

 

 

Fiel à Arte e a si mesmo. Henrique Manzo, com seu grande talento de pintor, constitue um exemplo vivo de honestidade espiritual e de amor à Beleza. Seus trabalhos são obra de aplicação ao estudo e de respeito às leis da harmonia e do método. A Pintura é a sua vocação e a sua glória. O que ele transmite às suas telas è a expressão autêntica dos seus sentimentos em face da Natureza e da Vida. Disso nos dá testemunho vibrante a presença desta casa, presidida pelo meigo espírito de bondade da modesta e encantadora Companheira que Deus reservou ao artista querido; desta Casa onde se reúnem os últimos quadros de Manzo, ao lado de outros que vieram do passado e que trazem igualmente a marca da sua admirável personalidade. Parabéns ao pintor! Visitantes, entrai neste templo da Arte com a certeza de que tendes diante de vossos olhos um mundo de sonhos e de belezas maravilhosas.

 

Dr Corrêa Júnior

São Paulo. 15 de Abril de 1964 

 

 

Henrique Manzo fixa com seu talento a ma­gia de nossa terra e o encanto de nossa gente. É um poeta da cor que nos transporta a planos de uma beleza imorredoura.

 

Dr. Paulo Bonfim

São Paulo, 14 de Abril de 1964 

 


MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTE ASSUNTO